quinta-feira, 24 de julho de 2014

#2 ACONTECEU COMIGO | DOS LEITORES

Oi gente!

Recebi ontem o primeiro e-mail da tag "Aconteceu Comigo". E estou realmente muito feliz.
Quero agradecer a Débora, que foi quem enviou o e-mail com sua história HILÁRIA! rsrs
Espero que vocês gostem, porque eu adorei mesmo.
Vou continuar a divulgar a tag, para que mais pessoas possam participar.
Mas, chega de enrolação e vamos para a história.

Nome: Débora Rodrigues
Blog: Não Traga Flores | Atualmente o blog está em hiatus.












A história da leitora:

Me formei em Nutrição em 2010 e logo comecei a trabalhar. Em 2011 recebi uma proposta bacana de uma outra empresa, que prestava serviços para uma mineradora, para ser gerente de produção. Logo aceitei!
No dia combinado, fui fazer meus exames admissionais. Ninguém na empresa havia me dito que exames seriam esses. Então, achei que seriam os exames de rotina para área de alimentação. Era em uma cidade vizinha à minha e fui de ônibus.
Chegando à clínica, me mandaram fazer vários exames: eletroencefalograma, eletrocardiograma, exame de sopro - esse exame é ridículo, a gente tem que ficar soprando dentro de um cano até a moça mandar parar para medir. Não sei, acho que a capacidade respiratória para o caso de precisar entrar numa mina. Vai saber.
Então, veio o famigerado exame oftalmológico... Oi? Ninguém me avisou disto. Eu não havia levado óculos escuros nem acompanhante. Mas fui, né? Me indicaram a clínica, que eram uns 2 quarteirões morro acima de onde eu estava.
Cheguei lá com meu papelzinho admissional, a recepcionista olhou e me mandou aguardar. Depois de uns 2 minutos, veio e pingou um colírio no meu olho. Mais dois minutos e mais colírio.Putz... Já fiquei cegueta na hora.
Fiz o tal exame ACHANDO que era só aquilo e eu poderia chamar um táxi para me levar até a rodoviária. MAS NÃO, DESGRAÇA POUCA É BOBAGEM.
Ela pediu que eu me encaminhasse para a clínica do médico do trabalho na rua tal, número tal.
Eram umas 11 horas da manhã em pleno mês de fevereiro. O sol rachando na rua, nem uma sombra para contar história. Cidade estranha. Eu não fazia a menor ideia de onde era aquele endereço.
Sai da clínica e fui descendo a rua, conforme indicaram. Me esgueirando pelas paredes igual a uma mongol, TENTANDO (apenas tentando) me esconder em alguma sombra pra abrir o olho. Dava 5 passos com os olhos fechados, uma olhada dolorosa pra ver o caminho e mais cinco passos.
Eis que vejo uma moça chegando bem pertinho de mim e resolvi perguntar onde era o médico, porque do jeito que eu estava não ia achar nem a pau.
Eu: Moça - eu disse abanando o braço na direção da coitada. Você sabe me informar onde fica a rua TAL?
Moça: Han?
Eu: Rua TAL. Você sabe?
Moça: Me olhou com uma cara bem estranha e soltou: Digita aqui no meu celular, porque eu sou surda.
Imaginem a minha cara quando ela disse isso.
A mina era SURDA, mas não era MUDA. E eu não conseguia digitar nada no celular dela, porque não enxergava NEM as teclas.
Depois de uns 10 minutos ela entendeu que eu não estava enxergando e que eu estava procurando a rua TAL e fez questão de se desviar do seu caminho para me acompanhar até lá. Muita amor!

Minha reação ao terminar de ler a história, foi meio assim:


Então, o que vocês acharam?
Mandem suas histórias também!
Beijos!

6 comentários:

  1. Kkkk bem assim minha reação ao terminar de ler a história tmb rsrsrs
    Muito legal essa tag, como faço para mandar uma história minha tmb??

    Beijos !! <3

    http://camilacostaoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ahuhahua É só mandar um e-mail para blog-rascunhos@hotmail.com
      Dá uma olhada neste post aqui: http://blog-rascunhos.blogspot.com.br/2014/07/participe-da-tag-aconteceu-comigo.html

      Beijos ! :D

      Excluir
  2. Eu passo só vergonha na minha vida... hahaha

    ResponderExcluir
  3. Bem cômica essa situação...Realmente tem que rir mesmo! bjs
    Gostei muito do seu blog e estou seguindo convido-lhe a conhecer o meu: perlavitapage.blogspot.com
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir