quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Enfim, eu desisti [...]


Quase sempre me orgulho de minha capacidade de insistência e perseverança. Quase sempre. 
Me sinto esgotada e até um pouco humilhada e tudo porque não percebi o momento certo de aceitar que não daria certo. Eu infelizmente tenho uma característica peculiar que é a de pensar que conseguirei fazer tudo, pensar que sou extremamente forte e que sei administrar meu tempo e meu afazeres. E o curioso disso tudo é que eu não sou assim, na verdade, eu tento diariamente me tornar esta pessoa. E diariamente eu fracasso. Daí vem minha capacidade de não desistir quando é o momento certo.
Também sou aquele tipo de pessoa que eleva os sonhos ao extremo. Eu realmente voo quando tenho a oportunidade de sonhar com algo que quero muito. Parece bonito ser uma pessoa assim e ás vezes é bom, mas na maioria das vezes machuca muito ser assim.
Imagine como me sinto quando resolvo libertar minha mente e deixar meus mais íntimos sonhos - que podem ser realizados - passear pela minha cabeça, sem limites. É uma sensação boa, certo?
Mas agora imagine quando percebo que nenhum deste sonhos vão realmente se concretizar e que tudo não passa de uma obra muito de feita de minha imaginação. Imagine quando percebo que não terei o apoio que tanto necessito, que talvez eu não seja inteligente o bastante e que mais uma vez eu fracassei. 
Fracasso todos os dias em minhas tolas tentativas de mudar o que faz parte de minha personalidade, fracasso quando deposito minhas esperanças e força em pessoas que não iram corresponder a nada que sinto, fracasso quando tento apagar a pessoa que fui ontem e fracasso ainda mais quando tomo a decisão errada, sabendo as consequências deste erro. Faz parte de mim ser tão ingênua a ponto de pensar que se eu tentar mais uma vez vai dar certo, mesmo eu tento tentado outras cem vezes com o mesmo resultado. E doí ser assim, e eu não lido bem com a dor.
Certas pessoas se acostumam com a dor, se acostumam com a perda, se acostumam com a parte dolorosa da vida. Eu não. Não quero e nem vou me acostumar com a dor que sinto com minhas derrotas, não aceito minhas perdas, nem meus erros, nem a pessoa que sou e as coisas que já fiz. Simplesmente não me conformo.
Preciso mudar, e eu realmente tentei. Mas me cansei e o cansaço vem até para quem pensa ser a pessoa mais forte do mundo. Ele vem. E o cansaço chegou para mim, na verdade, estou sentindo o pior tipo de cansaço que se tem. O cansaço mental.
Minha mente que está esgotada e isso faz com que meu corpo se esgote também, me deixando a deriva.
Enfim, por hoje eu desisti. Desisti de tudo e minhas lágrimas quentes provam isso. Mas é só por hoje. Sei que amanhã acordarei forte e disposta, e saber disso não me faz sentir melhor, porque hoje o mundo desabou em minhas costas e o que pode me curar é somente um resultado positivo para todas estas minhas tentativas de fazer algo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário